Minha história usando Linux

A primeira vez que tive contato com o Linux foi no laboratório de informática da faculdade em 2006. Na época eu ainda não tinha um computador em casa, mas já havia feito um curso básico de informática para o Windows 98. Não entendia o que era software livre na época, muito menos o que era aquele sistema.

Telecentro Comunitário

Em 2009 (se não me engano) consegui um emprego num laboratório de informática do município que morava e o sistema operacional que veio instalado nos computadores foi desenvolvido pela empresa Metasys. Esse laboratório se chamava Telecentro Comunitário e era um projeto desenvolvido pelo Ministério das Comunicações na época. Era um sistema que tinha como base o KDE, mas infelizmente havia muitas falhas de desenvolvimento. A internet do laboratório era via satélite e precisava ser bem configurada para que os computadores pudessem ter conexão. O bom foi que por conta desse trabalho fui forçado a estudar o funcionamento de sistemas Linux e aprender como é esse mundo de software livre, mesmo utilizando um Windows XP em casa. Nesse sistema vinha pré-instalado o Gimp 2.4 e pude continuar a fazer meus desenhos tanto em casa quando no trabalho, bastando salvar o arquivo XCF do projeto num pendrive. Muito bom poder editar um mesmo arquivo em sistemas operacionais diferentes. Infelizmente eu acabei perdendo o arquivo ISO desse sistema, e até o momento não o encontrei para download. Acredito que se tornou um sistema perdido no tempo.

Em 2013 acabei saindo desse emprego e me aventurando em escritórios de empresas. Então fiquei um bom tempo sem utilizar Linux.

Em 2014 comecei a investir pesado em concursos públicos, e em quase todos os editais havia software livre e Linux. Aprimorei um pouco mais meu entendimento sobre o assunto nessa época.

Eu nunca fiz a instalação dual boot em meu computador pessoal com Windows e Linux, pois considerava (e ainda considero) o Windows como meu sistema operacional principal. Utilizava o Linux mesmo apenas no trabalho, e em casa gostava de baixar e testar via Live CD as opções Linux disponíveis. Gostava de comtemplar o design das distribuições, descobrir novos programas que vinham pré-instalados e copiar para mim os wallpapers das distros. Algo que gostava de fazer também era configurar a aparência ao meu gosto dentro do Live CD via modo persistente em um pendrive, e às vezes quando ia usar o computador só pra navegar atoa na internet usava esse pendrive com um Linux aleatório customizado.

Depois de baixar e testar diversas distros diferentes eu percebi que o meu sistema Linux favorito é o Ubuntu. Gosto dele pela sua facilidade de instalação e uso. Entretanto não gosto da sua versão básica oficial, mas sim das suas chamadas flavors, que são versões dele desenvolvidas por outras instituições com interfaces gráficas diferentes. Infelizmente o Ubuntu oficial usa como interface o Gnome 3 que não usa metáfora tradicional da área de trabalho. Dentre as flavors a minha favorita de fato é a Xubuntu, que é o Ubuntu + XFCE. Como comecei no mundo dos computadores usando o Windows acabei por me acostumar a tradicional área de trabalho com a barra de tarefas na parte de baixo da tela e a barra de título na parte de cima, por isso a escolhi. Há outras versões Ubuntu com esse mesmo esquema, como o MATE, mas preferi o XFCE pois ele é voltado para máquinas com hardware menos potente. Além do mais me espantei com sua grande variedade de configurações e sua simplicidade.

Eu sempre quis configurar e customizar a ISO de um sistema Linux ao meu gosto e deixá-la guardada para instalações futuras, assim não teria que ficar algumas horas personalizando o sistema sempre que precisar instalar novamente em alguma máquina. Depois de muita pesquisa encontrei o Cubic (Custom Ubuntu ISO Creator) em 2020. Devo confessar que tive muita dificuldade para entendê-lo e a usá-lo de forma correta. Vi alguns vídeos brasileiros sobre ele no YouTube, mas infelizmente apenas fizeram tutoriais básicos. Encontrei alguns vídeos mais avançados na gringa, aí tive uma experiência mais completa. Fiquei alguns meses estudando e aprendendo sobre ele nas minhas horas vagas, até que consegui finalizar um projeto pessoal para o UEG Linux não oficial 😂. Hoje consegui experiência suficiente para personalizar ISOs do Ubuntu ao meu gosto.

Obviamente não sou um fanático por software livre, uso qualquer sistema ou programa que eu precisar e gostar. Não tenho formação na área de programação, sou apenas um cara que gosta de informática e aprende tudo o que precisa através de pesquisas na internet e quando surge alguma oportunidade de cursos gratuitos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *